Professorado e staff

Quem coordena?

 

Carlos Mendes Pereira, Porto 1972.

O facto de ter nascido num dos bairros históricos mais emblemáticos do Porto não será estranho à grande paixão que nutre por essa cidade.
Desde tenra idade dedicado à música e à fotografia, acabou por optar por esta última como carreira profissional, concluindo bacharelato em fotografia e mais tarde licenciatura em arte e comunicação, ambos na escola superior artística do Porto. Num percurso natural na pesquisa e interesse pela imagem, acabou integrando também a formação em audiovisuais, cursando fotografia cinematográfica avançada na escola internacional de cinema e televisão de San António de los Baños, em Cuba. Desenvolve profissionalmente trabalho em fotografia, com especialização em fotografia de arquitetura, especialidade que leciona no instituto português de fotografia, e em documentário para televisão, como diretor de fotografia. A música mantêm-se constante na sua vida como amador.
Apesar de incansável viajante, tem sempre a cidade invicta como o seu porto de regresso, Porto de abrigo, e é nas suas ruas estreias e antigas ou nas margens do douro que mais se sente em casa.

 

António Mendes Pereira.

Nasceu no Porto em 1969, tendo vivido na Póvoa de Varzim até terminar o ensino secundário. Concluiu a licenciatura em Relações Internacionais (ramo de Relações Económicas e Políticas) pela Universidade do Minho (Braga) em 1995. Durante a licenciatura frequentou e concluiu o Curso Livre de Espanhol (1990-1992), tendo obtido uma bolsa de estudo para o Curso da Escuela de Verano Española (Madrid) em 1991, e posteriormente o Diploma Básico de Español como Lengua Extranjera, pelo Ministerio de Educación y Ciencia de Espanha (1992). Ainda durante os seus estudos universitários, frequentou o Curso Livre de Língua Russa. Para além do castelhano, fala fluentemente inglês e francês.

Radicado na Póvoa de Varzim, após ter trabalhado nas áreas comercial/marketing de algumas empresas em Viseu, Porto, Braga e Vila do Conde, já leccionou inglês (iniciação infantil) e ocasionalmente realiza trabalhos de tradução, tendo como actividade principal, desde 2000, a importação e comercialização de peças para restauro de automóveis antigos.

A divulgação de Portugal e da cultura portuguesa, e o contacto com pessoas de outros países e culturas são actividades que considera muito gratificantes.

Quem leciona?

Marlene de Sousa

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, Variante de Estudos Portugueses e Ingleses (2005) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, foi assistente de línguas Comenius na Bélgica (2007), onde deu os primeiros passos no ensino da língua e cultura portuguesa a estrangeiros. Regressada a Portugal, ingressou no Mestrado em Português como Língua Segunda/Língua Estrangeira, também na FLUP, curso que concluiu em 2010. Nos anos seguintes, lecionou português na área consular de Barcelona a adolescentes e adultos (2010-2012) através do Instituto Camões. Nos últimos anos, tem lecionado cursos de PLE anuais e intensivos na Faculdade de Letras e noutras instituições de ensino na cidade do Porto. Concluiu entretanto um Mestrado em Tradução e Serviços Linguísticos (2014), trabalhando também como tradutora e revisora.

 

Inês da Conceição Pinto de Oliveira

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas – Variante Estudos Portugueses e Franceses (2005), profissionalizada no ensino de Português e de Francês no 3º ciclo e secundário (2006), mestre em Português Língua Segunda-Língua Estrangeira (2010) e doutorada em Linguística (2015), pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Desde 2009, é assistente convidada na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto. Participou no projeto “Agentes de Cooperação em Timor”  (ESE- IPP) onde dinamizou sessões de português (2011). Nos últimos anos, tem colaborado com a Faculdade de Letras na lecionação de cursos de português intensivos e anuais para estrangeiros desde 2009. Membro do Centro de Linguística da Universidade do Porto.

 

Clara Maria Pacheco de Oliveira

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, ramo educacional, pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP), em 2006. Foi assistente de Línguas Comenius (Programa Socrates/Leonardo da Vinci), em Praga, República Checa em 2006/2007. No ano letivo seguinte, começou a sua experiência no ensino de Português Língua Estrangeira, colaborando com a Universidade de Masaryk – Brno e de Palackého- Olomouc, até 2009.

Regressada a Portugal, lecionou português e inglês no ensino secundário e foi também formadora de português LM e inglês em vários cursos profissionais em instituições públicas. Em 2011 concluiu o Mestrado em Português Língua Segunda/Estrangeira na FLUP. Entre 2012 e 2016, assumiu funções como leitora do Instituto da Cooperação e da Língua, Camões, na Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim, República Popular da China.

Desde 2016 que é Coordenadora do Centro de Língua Portuguesa do Instituto Português do Oriente, em Macau. Atualmente, é doutoranda do 3.º Ciclo de Estudos em Ciências da Linguagem, ramo de Didática de Línguas, na FLUP, centrando o seu estudo no âmbito da Pragmática e Análise do Discurso Oral.

A par disso, tem um enorme interesse em contactar com outras culturas e aprender novas línguas.

 

Novo ateliê de Fonética e Dicção

Rui Spranger

Nasceu em 1971 em Moçambique mas adotou o Porto como sua cidade em 1981. Tem dedicado grande parte da sua vida ao teatro e nesta área tem vindo a exercer funções de ator, encenador, dramaturgista, tradutor, produtor e diretor artístico. É dizedor de poesia e dedica-se também à programação, à edição de livros, à formação e ao coaching. A sua voz tem dado corpo a documentários e spots publicitários. Atualmente é diretor artístico da Apuro – Associação Cultural e Filantrópica e da associação Maçã Vermelha e é o responsável, desde 2002, das noites de poesia do Pinguim Café no Porto. Integra o projeto musical La Lys – War songs e a sua poesia tem sido publicada em antologias, revistas literárias e jornais. Em 2016 saiu a plaquete “montanha-russa” da sua autoria editada pela Texto Sentido.

 

 

CICERONES

Rui David

Nasceu em 1975 em Pedrógão Grande, um pequeno – apesar do nome – concelho no centro interior do país. Em 1994 vem para o Porto estudar jornalismo e aqui exerce a profissão a partir de 1998. Passou pela imprensa, rádio e televisão, terminando na RTP, onde fez várias reportagens sobre a Galiza, incluindo sobre a questão linguística. Em 2008 decide abandonar o percurso como jornalista e dedica-se à locução, produção de conteúdos e… à música. É nessa qualidade que tem trabalhado em Teatro, enquanto cantor, instrumentista, arranjador e diretor musical em várias peças. Nos últimos 10 anos tem feito variadíssimos espetáculos onde explora a música e a palavra dos grandes cantautores de língua portuguesa e, ao mesmo tempo tem vindo a produzir o seu próprio repertório de originais. O seu primeiro tema original “O Apartamento” está no livro cd “Corasons”, editado pela Kalandraka e onde participam vários músicos da lusofonia onde se incluem, claro, alguns nomes maiores da música galega como Uxia, Xoán Curiel, Najla Shami, Pablo Vidal, entre outros. Em 2018 participou no Festival da Canção RTP com o tema “Sem Medo” a convite de Jorge Palma.

 Joana Félix

Nasceu em Vila Nova de Gaia, em 1969. Licenciou-se em Desporto e Educação Física na Universidade do Porto em 1992, tendo concluído na mesma Universidade um Mestrado e um Doutoramento em Ciência do Desporto nos anos de 1996 e 2002, respectivamente. Em 1991 iniciou a actividade docente no Ensino Básico e Secundário público, tendo leccionado Educação Física e Dança entre essa data e 2002. Nesse ano, iniciou a docência de uma Oficina de Teatro e Expressão Corporal na Escola Secundária Inês de Castro, em Gaia, onde é professora do quadro desde 1996, disciplina que ainda leciona, paralelamente à disciplina de Educação Física e a um núcleo de Desporto Escolar de Dança Contemporânea. Na Escola Secundária Inês de Castro criou, em 2004, um projecto de complemento curricular na forma de um clube de teatro, o contra-regra, do qual é responsável até hoje. É embaixadora do Teatro Nacional de São João na sua escola, dinamizando anualmente inúmeras visitas de estudo.

É formadora acreditada da Formação Contínua de Professores, tendo dinamizado diversas Oficinas de Formação e Workshops na área do Teatro-Educação. Tem no seu currículo mais de duas dezenas de encenações de teatro, quer em co-autoria quer a solo. É diretora da Associação dos Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto desde 2015. Pratica Biodanza, encontrando-se desde 2017 a frequentar a Escola de Biodanza do Porto para obter a certificação de facilitadora.

 Hugo Brito

Licenciado em Violino (2008) e Mestre em Interpretação Artística (2012) pela Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto, é em contexto académico que se envolve nas tarefas da Associação de Estudantes como membro da direção (2005) e, posteriormente, seu vice-presidente (2006). Foi representante eleito dos alunos ao Conselho Geral do IPP assim como no Planeamento Estratégico da mesma Instituição (2007). 

Colabora regularmente com a Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra Clássica do Sul, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra do Norte, Orquestra Filarmonia de Gaia, Orquestra Sine Nomine, Orquestra Sinfonieta, Orquestra Nacional Sinfónica da Ucrânia (Kiev), Bach Ensemble Wiesbaden – Frankfurt. Fez música para cinema e espectáculos teatrais das companhias TeatroEnsaio, Teatro Art’imagem, Companhia da Bruma e fez a estreia mundial de obras de José Mário Branco dedicadas ao espectáculo “Madrugada” (2012).

Atualmente é membro do Centro de Investigação em Estudos da Criança da Universidade do Minho e colabora com o Instituto de Educação da Universidade do Minho, onde se encontra a frequentar o Doutoramento em Estudos da Criança na área da Educação Musical. É Professor de Violino no Conservatório de Música de Coimbra.

Hugo Brito teve a seu cargo a palestra “Retrato político do Portugal democrático – do 25 de Abril à actualidade”, na edição 2015 dos cursos aPorto. 

Ana Alexandra Mendes

Naceu no Porto, em 1967. Licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e Mestre em Relações Públicas pela Universidade Fernando Pessoa. Assistente Convidada do Instituto Superior de Ciências Económicas e do Turismo. Consultora e Formadora de Gestão, Vendas, Liderança e Comunicação. Coach Profissional. Competent Communicator e Advanced Leadership Bronze pelo Oporto Toastmasters Club.

Foi membro do Orfeão Universitários do Porto, como ensaiadora de folclore. Atualmente é membro da Associação dos Antigos Orfeonistas da Universidade do Porto.

As suas paixões: canta num coro, dança tango e faz teatro amador.

 

Miguel Marques

Nasce em Carnaxide, em 1976. Ainda criança, a família muda-se para o Norte, para a zona de Santa Maria da Feira.

Depois de terminar os estudos em Filosofia (que complementa, um pouco mais tarde, com um mestrado em Educação) leciona durante alguns anos. É então que a crise se abate sobre o país e trabalhar no campo educativo se torna demasiado penoso e imprevisível.

Decide nesse momento fazer o curso profissional de fotografia do Instituto Português de Fotografia (a prática da fotografia acompanha-o pelo menos desde a faculdade, altura em que adquire formação básica através do CENJOR, o Centro de Formação de Jornalistas). Terminado o referido curso, faz um estágio na Global Imagens (Agência fotográfica portuguesa) como foto-jornalista, área da sua predileção.

Actualmente mora no Porto, onde trabalha como fotógrafo freelancer. Viaja com frequência para desenvolver projetos pessoais na área da fotografia documental.

Isabel Azevedo

“Sou nascida no Porto em 1976 na extinta Freguesia da Vitória, Porto.

Estudei na cidade, onde me formei na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto (1997), seguindo de imediato uma carreira Hoteleira na indústria do Catering. Mais tarde, com o objetivo de obter uma mais-valia profissional e complementar estudos, licenciei-me em Gestão no Ramo Empresarial.

Por razões várias, em 2005 o meu percurso profissional enveredou pelo ensino na área de Restauração, onde lecionei em escolas públicas e privadas. Pelo que optei por fazer uma especialização em Gestão e Consultoria na Formação Contínua e Ocupacional (20 créditos) na Universidade de Santiago de Compostela (2007). Presentemente encontro-me a lecionar na Escola Secundária de Valongo. Hoje compreendo que a hotelaria permite-me fazer aquilo que realmente gosto – trabalhar com jovens desafiantes e prepara-los para o mundo do trabalho.

Mas como por si só a face profissional não revela tudo sobre alguém, tenho outros interesses, como a fotografia, voluntariado, e atividades outdoor, nomeadamente no que se refere a natureza. Sou ainda praticante de desportos aquáticos, como a natação e o mergulho. Viajar para mim é uma necessidade, pelo conhecimento e curiosidade. Tenho ainda outra paixão, a enologia, que considero talvez um “osso de ofício”. “

Os nossos coordenadores Carlos Mendes Pereira e António Mendes Pereira também serão cicerones. 

 

Post navigation